Este artigo é sobre o primeiro deus do sol. Para o cavaleiro do século XVIII de mesmo nome, visite Kain e Abel de Gêmeos.

O Cosmos de Pégasus subiu ao infinito ... Ele realmente acredita que é capaz de superar meu Divino Cosmos? ... Não, isso seria loucura! Não seja tolo, não seja irreverente! Eu realmente acho que esse mortal pode superar um Deus? Não ... Mas o que eu não entendo é ... Por que eu estou com medo? „                  

        ~ Febo Abe


O todo-poderoso filho de Zeus, Febo Abel, antigo Deus do Sol na Era Mitológica, acabou sendo destruído pelo próprio pai e pelo deus Apolo, por estes temerem suas crescentes ambições. Inexplicavelmente, porém, ressuscita nos tempos modernos com o firme propósito de punir a raça humana por seus atos, devolvendo a Terra ao controle dos deuses. Acompanhado de sua guarda-pessoal, os Cavaleiros da Coroa do Sol, Abel busca se aproximar de sua irmã menor, Atena, esperando contar com seu apoio para por em prática o fim da humanidade. Como força adicional, Abel ressuscita os Cavaleiros de Ouro mortos na Batalha das Doze Casas, concedendo-lhes sua proteção.

Origem do Nome

Febo (Phoebus )significa "brilhante", sendo este um dos nomes pelo qual Apolo era conhecido. Já Abel tem origem hebraica, significando "Nada". Juntando ambos fazem referência ao que o personagem seria para a história, alguém que foi da glória ao esquecimento. Outra possível explicação seria alusão a Bel, do acádio "Senhor", cognata do hebraico Baal e do grego Belus, o deus do sol no Oriente Médio.

Características

Aparência

Phoebus Abel é apresentado como um jovem atraente entre os 16 e os 22 anos de idade. De cabelo curto ligeiramente despenteado, pele delgada e desajeitada, com pele clara e olhos azuis em tons claros.

Personalidade

Abel foge um pouco ao padrão comportamental dos deuses. Enquanto outros irão mostrar uma postura arrogante ou conduta descontrolada, o Deus do Sol mantém o ar sereno e amabilidade. Enquanto esteve junto da irmã, Abel mostrou-se carinhoso e cortês. Mesmo depois, quando Atena opõem-se a ideia de punir a humanidade, Abel se controlou, muito embora seu olhar tenha adquirido um aspecto sombrio.

Ao enfrentar Seiya, vestido com a Armadura de Sagitário, Abel ainda mostrava-se controlado. Preferindo manter a postura digna a macular sua imagem, Abel foi arrogante o suficiente para proclamar-se, perante os demais deuses do olimpo, na era mitológica, como Deus do Sol.

Ele se considerava poderoso o suficiente para se autodenominar Deus do Sol, desafiando os olimpianos na era mitológica.

Criando o mito

ABEL - PANFLETO.png

Abel não existe em nenhuma versão da mitologia grega, sendo um personagem criado exclusivamente para o mito. Porém, na cabeça de Kurumada e da equipe de produção do filme, como Abel pode ter assumido o posto de Deus do Sol? Quem o ocupava antes? Como relatado na mitologia, Apolo não nasceu como o Deus Sol, esse era um título ("Febo") adquirido e ainda assim, Zeus havia expulso Apolo para que este vivesse na Terra, entre os humanos. Segundo dados oficiais referentes a explanações do filme "Shinkû no Shônen Densetsu" (A Lenda do Jovem Escarlate)., Abel foi desenvolvido com a colaboração efetiva do próprio Masami Kurumada. Tradução própria de trechos do panfleto do filme, distribuído gratuitamente na grande estreia da Toei Manga Matsuri:

02/16 – Kurumada Production

Para o terceiro filme de Seiya, recorreu-se novamente ao original do mestre Masami Kurumada, mas ideias frescas não paravam de sair da cabeça de Kurumada, uma a uma, é impressionante…

(…)

03/25 – Araki Production

Conforme os desenhos originais do mestre Kurumada, o sr. Shingo Araki, desenhista dos personagens [character designer], completou os desenhos de Abel, o lendário Deus Sol, irmão mais velho de Atena.

04/11 – Kurumada Production

Comemoração! O story-board está completo!! Mestre Kurumada checa sem esboçar reação… Então, um simples sorriso mostra sua satisfação.

ABEL - PANFLETO 2.png

As peculiaridades do mito de Apolo podem ter servido de gancho para Kurumada e a equipe de produção pudessem desenvolver Abel e incluí-lo na mitologia grega de Saint Seiya, estabelecendo que na era mitológica (provavelmente na época em que Apolo estava exilado na Terra) Abel, um dos filhos de Zeus, auto-proclamou-se como Deus Sol (“Febo Abel”) e tentou dominar a Terra. A partir daí, podemos pressupor que, nesse momento, Apolo teria se rebelado contra Abel, já que vivia na Terra e orgulhoso do jeito que era, não concordou em ser dominado como os humanos, afinal, mesmo não estando no Olimpo, Apolo ainda era um deus poderoso. Zeus, que também não concordava com a ambição de Abel, apoiou Apolo e juntos eliminaram Abel deixando-o no esquecimento da história. Isso sem mencionar que o filme nos conta que não apenas Apolo e Zeus se enfureceram com Abel, outros deuses também.

Continuando, poderíamos pressupor que, a partir da derrocada de Abel, Zeus teria perdoado Apolo e lhe concedido o posto de Deus Sol. Provavelmente o Abel da era mitológica tinha muito mais poder do que o Abel mostrado no filme, pois precisou da ação de deuses poderosos eliminá-lo. Durante o filme inteiro, Abel se diz enviado dos deuses, revivido por eles, talvez os outros 12 deuses do Olimpo, e não Zeus, reviveram Abel. Talvez os deuses do Olimpo não quisessem sujar suas próprias mãos naquele momento e tenham prometido a Abel um lugar no Olimpo se ele eliminasse os humanos.

Histórico

Eras Mitológicas

Febo Abel, antigo deus do sol, que no passado mesmo sendo filho de Zeus seu poder era semelhante ao de seu Onipotente Pai.Originalmente o Deus da Coroa Solar, o poder de Abel era gigantesco, e muito da humanidade primitiva o adorava como seu único e verdadeiro senhor. Assim, cheio de orgulho, arrogância e ambição, ele reivindicou a totalidade do Sol para si e partiu para destronar seu pai Zeus. Muitos olímpicos lutaram contra ele, até que finalmente o jovem Apolo matou o usurpador.

Tendo sua alma aprisionada pelo próprio Zeus, o nome de Abel, o rosto e os templos de culto foram completamente apagados dos registros dos homens, para nunca mais serem lembrados. Em gratidão, Zeus também coroou o jovem Apolo com total controle sobre o Sol. Sua essência é contida no Templo da Coroa do Sol, um espaço oculto no Santuário de Atena.

Batalha contra Atena

ABEL SE APRESENTA COMO UM DOS FILHOS DE ZEUS.png

No século XX, a indignação crescente dos deuses com as blasfêmias humanas os levam a trazer Abel de volta, que recebe a missão de devolver o comando da Terra ao Olimpo após erradicar a humanidade. Para ajudá-lo em sua missão, o Deus Sol é acompanhado de sua própria comitiva: Atlas de Carina, Jao de Lince e Berengue de Coma de Berenices. Junto aos seus Cavaleiros da Coroa do Sol vem os acompanhando Cavaleiros de Ouro que morreram no combate das Doze Casas, trazidos de volta à vida por Abel.

Após encontrar Saori Kido, Abel decide levá-la para o Santuário com seus guerreiros, o que a faz abandonar os Cavaleiros de Bronze. Saori parece concordar com o plano de Abel no início, uma farsa que não dura muito. Saori ataca o irmão com seu báculo, mas seu poder é sobrepujado. Abel acaba por matar Saori, lamentando profundamente o incidente, decidindo levar sua alma a um lugar criado por ele especialmente para a deusa, onde poderia ter um descanso pacífico e um novo reinado.

ABEL TOMA O CORPO DE SAORI EM SEUS BRAÇOS.png

Depois das traições de Shura de Capricórnio e Camus de Aquário, indignados com a morte de Atena, se torna evidente que Abel está sendo consumido pelo remorso. Ele decide permitir que Hyoga de Cisne chegue ao Templo da Coroa do Sol, sem ser interrompido, e pede ao cavaleiro que preparasse um ataúde de gelo para preservar a beleza de sua irmã eternamente. Quando Hyoga se nega e decide atacá-lo, Abel simplesmente retorna ao interior do Templo, deixando Berengue para enfrentá-lo.

Enquanto aguarda o momento propício para iniciar a destruição do planeta, Abel sente o Cosmo de Seiya de Pégaso , Shiryu de Dragão e Hyoga, vestidos em Armaduras de Ouro e vitoriosos no combate contra seu último guerreiro, Atlas. Ele consegue derrotar Shiryu e Hyoga, que protegem Seiya do impacto dos ataques do deus do Sol, e começa a destruir o mundo, causando erupções vulcânicas, terremotos e outros fenômenos naturais através de seu Cosmo.

ABEL VS SEIYA.png

Sem chances de derrotar seu oponente, Seiya se une aos outros Cavaleiros numa elevação de Cosmo, que consegue libertar Saori do controle de Abel e trazê-la de volta à vida, para o espanto de seu irmão. Ela o confronta, reforçando sua posição como deusa protetora da humanidade e declarando que os atos de Abel o tornam indigno de ser um deus: apenas um deus falso. 

Antes que possa reagir, Abel escuta Seiya chamá-lo, e percebe que estava sob a mira da Flecha de Sagitário. Abel, então, acaba morto com o disparo da flecha. 

Aliado a Lúcifer

ABEL DEPOIS DE VENDER SUA ALMA A LÚCIFER, JUNTO A ÉRIS E POSEIDON.png

Abel cuja alma havia sido enviada ao Submundo após morrer, é invocado por Lúcifer junto com os deuses Poseidon e Éris. Os três deuses então, começam a causar terríveis desastres pelo planeta, demandando a vida de Atena em troca do fim das catástrofes. Após Lúcifer ser derrotado por Seiya, a alma de Abel cai novamente no Inferno.

Habilidades

Abel mostra ser uma divindade extremamente poderosa, é mencionado no filme pelo Mestre Ancião que seu poder se equiparava ao de seu pai Zeus (ler a nota), tendo pleno domínio do Cosmo. Quando partiu para destronar seu pai, muitas divindades foram necessárias para derrotá-lo. Apenas depois de uma longa e grande batalha cosmica Abel foi derrotado.

É visto no filme que Abel é capaz de recriar armaduras como fez com os cavaleiros de ouro mortos, fica mais visto isso quando Hyoga recebe a armador de aquário intacta sendo que na luta contra os soldados de Abel, A armadura foi destruída.

Nota: O filme Saint Seiya: A Lenda dos Defensores de Atena alega que Abel é o Deus mais forte, com exceção de Zeus, e que muitas divindades eram necessárias para derrotá-lo. No entanto, como o filme foi feito antes dos acontecimentos da saga de Hades, esse detalhe deve ser ignorado.

  • Phoebus Abel como todo deus possui imortalidade, e é uma criatura que vive desde a era mitológica.
  • Phoebus Abel, como todos os deuses, possui um comando completo da energia conhecida como Cosmos.
  • Phoebus Abel toca a lira extremamente bem.
  • Phoebus Abel tem o poder de reviver humanos, como foi feito com os Cavaleiros de Ouro que morreram na batalha das Doze Casas. Os cavaleiros revividos foram Saga de Gêmeos, Máscara de Morte de Câncer, Shura de Capricórnio, Camus de Aquário e Afrodite de Peixes.
  • Phoebus Abel pode colocar uma pessoa em coma enquanto ele usa seu cosmo para guiá-la pela força a qualquer parte que ele queira do mundo da morte. Abel usa-a em Saori para guiá-la aos Campos Elísios
  • Phoebus Abel pode criar uma esfera de cosmos verde que se lança contra seu inimigo, uma vez lançado, esta esfera aumenta de tamanho.
  • Phoebus Abel pode despertar vulcões adormecidos na Terra para liberar sua lava ardente em aldeias próximas e assim aniquilar tudo em seu caminho.
  • Phoebus Abel pode mover as placas tectônicas da Terra, de modo que a onda produzida choques fortes para fazer grandes rachaduras na superfície, destruindo edifícios e matando milhares de pessoas.
  • Phoebus Abel pode se envolver em uma poderosa quantidade de cosmo que o protege de qualquer ataque, repelindo o mesmo ao oponente como um espelho.

Frases

O Cosmo de Pégasus elevou-se até o infinito... Espero que não pense que possa ultrapassar meu Cosmo... Isso seria uma loucura! Não seja tolo! Não seja irreverente! Acha que pode superar um deus?!... O que eu não entendo, é por que estou com medo?...

Abel, ao ver o cosmo de Seiya aumentar.

Por que, por que eu não consigo sentir ódio de alguém que está prestes a me matar? Sinto vontade de reconhecer o seu valor e a sua coragem para perdoá-lo! Por acaso será esse o meu destino?

Abel, antes de ser morto pela flecha de sagitário.

Divindades
Deuses Primordiais
(Episódio G)
Urano (o Céu) • Pontos (o Mar) • Érebo (a Escuridão) • Eros (o Amor) • Gaia (a Terra)
Deuses Olímpicos ZeusPoseidonHadesAtenaApoloÁrtemisAresHermesAfrodite
Clã dos Titãs
(Episódio G)
CronosHyperionCéosIapetoCréosOceanoRéiaTêmisMnemôsineTéiaTétisFebePrometeu
Clã dos Gigas
(Episódio G)
LyaxPhloxAnemosBronteSpateZugilosHoplismaDrakonThêr
Deuses dos Sonhos
(The Lost Canvas)
OneirosMorfeuFântasoÍceloFobetor
Panteão Egípcio
(Episódio G)
AnubisApófis
Panteão Celta
(The Lost Canvas)
LugBalorEthlinn
Panteão Asteca
(The Lost Canvas)
TezcatlipocaQuetzalcóatl
Panteão Romano MarteSaturnoDianaVulcanoBacoRômuloCupidoPlutão
Panteão Nordico OdinLoki
Outras Divindades TártaroCaosCronosKairosHypnosPallasThanatosDeimosFobosTifãoAbelNikéÉrisDeusEuríbiaPerséfoneApsu
Semideuses e portadores de Ikhor KardiaTenmaDohkoRadamanthysEdenShura (G) • Sigurd
Pseudodeuses AriaCavaleiro de OfiúcoFeiyanSaga de GêmeosBalder
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.