FANDOM


O Fim da Batalha! Torne-se uma lenda, Kouga (Tatakai no Hate! Kōga yo, Densetsu to Nare! (闘いの果て! 光牙よ、伝説となれ) é o último, e também quadragésimo sexto episódio da segunda temporada do anime Os Cavaleiros do Zodíaco Ω.

Resumo

A batalha ainda não acabou! Os jovens Cavaleiros do Ômega estão dispostos a tudo para derrotar Saturno, o regente do tempo e do espaço. Será que a humanidade está fadada ao silêncio eterno ou um grito de esperança poderá enfim mostrar ao inimigo o quanto eles desejam viver na nova era, que está prestes a começar?

Enredo

Envergando sua nova e mais poderosa amadura, Kouga promete cravar uma lembrança no corpo de Saturno, capaz de fazê-lo se lembrar da incessante vontade da humanidade em viver e lutar. Saturno percebe que o Cavaleiro de Pégaso continuaria a desafiar as leis do tempo, ainda por cima os deuses e resolve colocar um ponto final na batalha. Ainda sobre a atmosfera da Terra e cercados por diversos corpos celestes, os dois guerreiros se preparam para o clímax da batalha.

O deus Saturno não teme o poder do Ômega por acreditar conhecê-lo bem; a preocupação dele reside no fato dos humanos abusarem de um poder que sequer compreendem, e um dia ameaçar a paz e a beleza do planeta Terra. Os dois partem para a ofensiva ao mesmo tempo, e desta vez o punhos de Kouga conseguem danificar a chronotector do oponente. Saturno percebe que Kouga ainda está sendo fortalecido pelos cosmos de seus companheiros caídos, intrigado com o fato do poder Ômega não ter limites.

O jovem cavaleiro provoca Saturno, questionando-o se ele realmente conhecia a força do Ômega e resolve atrai-lo para a atmosfera do planeta Saturno, onde o combate não arriscaria danos ao planeta Terra. Os punhos deles se chocam, destruindo mais e mais os corpos celestes próximos. Kouga consegue ferir o rosto de Saturno com oCometa de Pégaso, porém o inimigo se regenera rapidamente e ainda mais irritado resolve puni-lo jogando um imenso astro na direção de Pégaso. O jovem cavaleiro toma distância para agarrar o corpo celeste gigante e parti-lo em dois com oTurbilhão de Pégaso. Kouga continua a provocá-lo, dizendo que Saturno ainda não revelou sua verdadeira força.

Saturno golpeia Kouga com tudo, destruindo as asas da armadura dele. Mesmo se chocando com um asteroide, Kouga não se entrega e eleva seu cosmo, destruindo-o e preparado para o contra-ataque. O rapaz consegue causar mais danos à chronotector de Saturno, que está mais convicto em apagar definitivamente o brilho do Ômega para a humanidade não se extinguir, mergulhada em insanidade e protelação. Determinado em mostrar o poder que todos na Terra lhe entregaram, Kouga eleva seu cosmo em desafio a Saturno, que faz o mesmo. Os cosmos deles começam a abalar os corpos celestes ao redor, fazendo-os rodopiar mais e mais. Saturno e Kouga voltam a trocar socos e pontapés, e a cada ataque um destrói a vestimenta do outro.

Omega97 6

Kouga e Saturno em um duelo mortal.

Saturno percebe que Kouga não estava lutando por vingança pessoal; tão pouco estava triste ou abalado. Mesmo golpeando-o, Saturno sentia uma estranha emoção ardente, porém por não compreendê-la direito, ele não podia mais deixar de ignorá-la. Saturno começa a relembrar que tal calor no combate era o mesmo que sentiu na forma de Subaru, quando lutou ao lado de Kouga e dos demais Cavaleiros de Bronze. Ao ver a expressão no rosto de Saturno, Kouga aconselha-o a não se desesperar. Os dois ainda se enfrentam, mesmo sem envergaduras para proteger seus corpos. Saturno não aceita as palavras de Kouga e não poupa esforços em golpeá-lo. O cosmo dos demais Cavaleiro de Bronze entra em contato com Saturno, na forma de espíritos. Souma, Yuna, Ryuho, Haruto e Éden, cada qual reaparecem no campo de batalha, determinados a convencer Saturno, seja ele quem fosse, que seus sentimentos e anseios eram semelhantes ao de qualquer habitante da Terra.

Na opinião dos cavaleiros, nem mesmo o solitário Saturno poderia conviver eternamente com a solidão e o silêncio. Kouga tenta se comunicar com o oponente, trocando mais e mais socos com ele, porém a tentativa ainda é em vão porque Saturno acredita estar sendo ludibriado por seres imaturos e inconsequentes. A cada conselho, Saturno se irrita ao se lembrar do quanto aprendeu com os humanos; o sentimento, a força de vontade deles, e também sua missão em ajudar uns aos outros - tudo isso era algo que o deus lutava para renegar. Ao ser golpeado diretamente na face, Kouga percebe o quanto Saturno se lembrou dos ideais antigos enquanto viveu como Subaru na Terra. O deus é motivado por umaestranha chama, e Kouga percebe que seu oponente estava lutando de forma correta, agindo pelos impulsos e anseios do coração, tal qual uma criança determinada.

Omega97 7

Seiya e Saori reunidos.

O Cavaleiro de Pégaso constata que os anseios e desejos de um deus não é diferente daquilo que os humanos buscam em seus curtos períodos de vida, e reunindo novamente o cosmo do companheiros, Kouga resolve aplicar o golpe final em Saturno, oMeteoro de Pégaso. O deus tenta se proteger atrás de uma poderosa barreira dimensional, e logo se vê conversando com Kouga, em seus subconscientes. Saturno teme que as guerras só piorem quando todos os humanos desvendarem os segredos do Ômega, mas Kouga reafirma que a pior coisa é cair em desespero, pois mesmo errando, todos tem o direito de recomeçar. Saturno não teme por sua vida, pois seu corpo era verdadeiramente imortal, mas alerta Kouga que o rumo da batalha poderia dizimá-lo completamente do universo. O rapaz admite que sua vontade era a mesma de todos os Cavaleiros de Atena - continuar lutando e jamais desistir!

Um poderoso brilho dourado emerge de Kouga e seu ataque combinado com o espírito de seus companheiros consegue finalmente fazer uma profunda cicatriz no corpo de Saturno. Ao ver que sua barreira dimensional foi destruída e seu corpo ferido novamente, o deus não tem mais como negar o quanto os humanos são obstinados. Saturno está contente por ter contemplado a esperança e a vontade deles, na realidade um milagre, e por sinal de respeito a Kouga e seus amigos, ele resolve interromper a batalha. Embora já soubesse que Kouga não tinha intenções de desistir, Saturno acredita que ainda há esperança para a humanidade, uma vez que o Ômega despertou pelo forte anseio em ajudar o próximo. O deus utiliza seus poderes para se cobrir novamente e restaurar sua chronotector, a Elipse Pérpetua (永刧輪舞) e surpreende Kouga ao restaurar a Armadura de Bronze de Cavalo Menor também.

Nas ruínas do templo de Saturno, o deus admite que as armaduras são vestimentas muito especiais, pois carregam os sentimentos de seus donos, independentemente de qual fosse a geração de cavaleiros. Ele aproveita para alertar Kouga que tornaria a lutar pelo controle da Terra se os humanos se esquecessem do verdadeiro significado do Ômega. O rapaz afirma que os Cavaleiros de Atena surgirão para impedir os planos de Saturno, caso isso acontecer. O deus faz votos de que a Armadura de Cavalo Menor, que já envergou antes, herde também sua vontade, e assim ele se despede de Kouga e seus amigos, referindo-se a eles como irmãos. Kouga o vê desaparecer com os pertences na órbita do planeta Saturno, e logo o tempo do universo retoma seu curso.

Omega97 8

Éden encabulado com a atitude de Kouga.

Fudou de Virgem admite que foi a primeira vez que viu o lampejo do Ômega, ainda mais um milagre de grandes proporções. Os humanos começam a recobrar a consciência. Os cavaleiros ficam felizes ao ver seus companheiros sãos e salvos. Atena e Pallas despertam para o alívio de Titan e Harbinger, que permaneceram sempre ao lado delas para protegê-las. Ikki resolve ir embora de Pallas Belta, após ver que outra calamidade foi evitada. Kouga descobre que seus amigos estavam vivos. Seiya os observa de longe, satisfeito em vê-los bem. E assim, mesmo sem suas armaduras, eles retornam para a Terra, que agora podia desfrutar de novos tempos de paz e prosperidade. Alguns dias se passam,e os cidadãos de Pallas Belta retomam suas vidas, reconstruindo-a.

Pallas e Titan observam tudo. A deusa do amor está arrependida por tê-los colocado em perigo e pensa em uma maneira de redimir-se. Eis que a pequena Selene percebe seus anseios e oferece uma bebida quente e agradável para a deusa, mesmo não conhecendo sua identidade. Selene explica que todos estão dando o seu melhor para reconstruir a cidade e Pallas percebe que teria de fazer o mesmo para com os habitantes da Terra. A deusa entrega um presente a Selene, a boneca com a imagem de Saori, a qual carregou durante toda a batalha. A menina promete cuidar bem do presente e se despede de Titan e de Pallas com um sorisso. A deusa, acompanhada de seu fiel escudeiro, resolve tomar o seu rumo e confortar os carentes e necessitados, e assim ajudá-los a criar um futuro melhor. Ela está convicta sobre o quanto tem de aprender com os humanos.

Enquanto isso, no Santuário da Grécia, Harbinger está reunido com Kiki, Fudou e Íntegra. Ele descobre que foi apontado como o novo Mestre do Santuário por Saori Kido, e já teve o consentimento de Seiya para assumir o posto. Harbinger refuta a ideia a princípio, oferecendo o cargo aos seus companheiros. Kiki não se mostra interessado visto que sua responsabilidade em consertar as armaduras só aumentou por causa dos recentes confrontos; Fudou e Íntegra concordam que alguém honesto e determinado como o Cavaleiro de Touro era mais digno do posto. Todos já estavam cientes do quanto ele lutou com Titan em nome dos fracos que sequer podiam resistir a afronta dos deuses e prometem cooperar o máximo que puderem para ele liderar o Santuário em tempos de recuperação. Embora a pequena Raki aparece para advertir Harbinger sobre as dificuldades em liderar os cavaleiros, Harbinger aceita a nova missão, garantindo que não poupará serviços a ninguém.

Logo, a reunião é interrompida por Kouga, que resolve agradecer Kiki por consertar a Armadura de Pégaso. O jovem Pégaso está ansioso em ver como será o novo Santuário após retornar de uma longa viagem para conhecer melhor o mundo. Ele se despede de Raki e dos Cavaleiros de Ouro; embora Harbinger faça questão de revê-lo em breve, pois em sinal de perigo, os Cavaleiros de Atena deveriam se reunir no Santuário. Num cemitério próximo, Saori lamenta a perda de tantas vidas; porém Seiya relembra que o sacrifício dos cavaleiros fez com que milhares de outras fossem salvas. Quando estava prestes a confortá-la, o Cavaleiro de Sagitário se inibe com a presença de Kouga, que estava lá para reportar sua saída. Saori admite que ficará triste com a partida dele, e Seiya diz que não importa o que aconteça, ela sempre poderá contar com a ajuda de todos os cavaleiros. O Cavaleiro de Sagitário, enfim a sós com sua deusa, a conforta, enquanto ela o agradece e retribui o gesto com um sorriso singelo.

Já de saída das Doze Casas do Zodíaco, Kouga encontra Yuna, Souma, Ryuho e Haruto, aguardando por ele. Kouga admite que não era bom em despedidas e eles o repreendem por ainda agir como uma criança. O rapaz fica encabulado e admite que ainda não acredita que salvou a Terra das ambições de Saturno, e por conhecer o mundo tão pouco, ele resolveu que é hora de ir atrás de algum sonho. Yuna e os demais estendem seus braços, garantindo a Kouga que sempre pensariam nele, independentemente de onde estivesse. O rapaz retribui o gesto, e logo o brilho do Ômega é contemplado novamente no Santuário. Kouga agradece seus amigos pela boa intenção e logo após deixá-los para trás, ele se depara com Éden, que também revela as mesma intenções que ele. O rapaz fica contente com a notícia e convence Éden que eles deveriam viajar juntos, pois seria mais divertido. E assim, aqueles jovens que um dia trocaram socos e indiferenças, hoje compartilham de um novo futuro como verdadeiros amigos.

Acontecimentos Importantes e Curiosidades

  • Conclusão da batalha - Saturno interrompe o duelo após não conseguir ignorar o forte sentimento em relação aos seus amigos cavaleiros, considerando-os verdadeiros irmãos. Kouga é o primeiro humano a ferir o corpo do regente divino, porém a primeira façanha pertence a Seiya, o antigo Cavaleiro de Pégaso, que derrotou deuses como Poseidon e Hades. [1];
  • É revelado que Kiki de Áries consertou a Armadura de Pégaso. As Armaduras de Gêmeos e de Sagitário aparecem já restauradas ao mesmo tempo que Harbinger de Touro aceita a nova missão proposta por Saori Kido, tornar-se o novo Mestre do Santuário (教皇 ~きょうこう~ Kyōkō); [1]
  • A Armadura de Cavalo Menor é reconsertada por Saturno. É a primeira vez em toda a franquia que um antagonista considerado um deus conserta uma das Armaduras de Bronze. Na antiga Batalha das Doze Casas, Shaka de Virgem ajudou o Cavaleiro de Fênix a levantar voo novamente. [1] [2]
  • Demonstração de afeto e amizade - destaque para as cenas de Seiya e Saori, e Éden e Kouga. No primeiro caso, Seiya hesita em colocar uma das mãos no ombro de Saori na frente de Kouga, que foi até eles para se despedir. O comportamento de Seiya reflete um comportamento padrão e tradicional da sociedade japonesa, embora não seja algo ortodoxo. Mesmo os casais japoneses, evitam demonstrar carinho e afeto em público; tanto que um beijo acontece de forma demorada e reservada. O contato é mínimo, sendo que as aproximações são geralmente interpretadas como interesse, e em casos extremos, assédio sexual, quando um homem toca uma mulher. No Japão, o beijo é considerado um tabu, pois a crença regente é que ele é uma das preliminares do sexo e só deve ocorrer entre quatro paredes. Em 1920, o beijo em público foi proibido por lá e só voltou a ser legalizado após o término da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Atualmente, os casais modernos o veem como um gesto de prova de amor verdadeiro, sem fortes apelos ou demagogias. No segundo caso, o tema é a forma de tratamento entre o Cavaleiro de Pégaso e o Cavaleiro de Órion. Embora Kouga o chamasse pelo primeiro nome, enxergando-o como um igual, Éden sempre se referia a ele como Pégaso, em virtude de seu comportamento formal e mais reservado. O habitual no Japão é chamar as pessoas pelo sobrenome, exceto for alguém da família, crianças ou amigos íntimo, e também o uso frequente de honoríficos, sendo estes um dos pilares da educação naquele país. [1] [3] [4]

Personagens aparecem na seguinte ordem

Técnicas e Armas Utilizadas

  • Cometa de Pégaso (ペガサス彗星拳 Pegasus Sui Sei Ken), Turbilhão de Pégaso (ペガサスローリングクラッシュ Pegasus Rolling Crush) e Meteoro de Pégaso (ペガサス流星拳  Pegasus Ryu Sei Ken) por Kouga;
  • Furacão de Aço (スチール・ハリケーン Steel Hurricane) por Emma e Subaru - flashback;
  • Esquife de Gelo (フリージングコフィン Freeezing Coffin) por Hyoga - flashback;
  • Grande Chifre (グレート・ホーン Great Horn) por Harbinger - flashback.

Galeria de Imagens








Referências Bibliográficas

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 第97話 闘いの果て! 光牙よ、伝説となれ! | 聖闘士星矢Ω|テレビ朝日. Os Cavaleiros do Zodíaco Ω (Saint Seiya Omega),episódio 97TV Asahi. Informação publicada em 01-04-2014.
  2. セイントセイヤ - 聖闘士星矢 (Seitōshi Seiya - Seinto Seiya).Os Cavaleiros do Zodíaco - mangá (cap.42); animê (ep.72).
  3. BIX, Herbert. Hirohito and the Making of Modern Japan. Nova York: HarperCollins, 2000 (em inglês);
  4. BRAMBLE, P. Sean. Japan: a survival guide to customs and etiquette. [S.l.: s.n.], 2008. ISBN 978-0-7614-5488-5.
Lista de Episódios Saint Seiya Ω
Saga de Marte 010203040506070809101112131415161718192021222324252627282930313233343536373839404142434445464748495051
Saga de Pallas 52535455565758596061626364656667686970717273747576777879808182838485868788899091929394959697
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.