Saint Seiya Wiki
Advertisement
Saint Seiya Wiki
Fafner de Nidhögg
Fafner.png
Nome
Original ニーズヘッグのファフナー
Romanização nīzuheggu no fafunā
Simbologia Nidhögg
Dados Gerais
Classificação Guerreiro Deus
Robe Robe de Nidhögg
Armas Ridil
Divindade Odin
Dados Pessoais
Raça Humano
Gênero Masculino
Altura 1,75m
Local de Nascimento Asgard
Dados do Treinamento
Dados do Mangá/Anime
Estréia Saint Seiya Soul of Gold - Episodio 01
Seiyū Ito Kentaro

Fafner de Nidhögg (ニーズヘッグのファフナー, Nīzuheggu no Fafunā) é um dos Sete Guerreiros Deuses da nova geração a serviço de Andreas, o novo sarcetode de Odin, em Asgard. É conhecido como o mais cruel dos Guerreiros-Deuses.    

Origem do nome

Possivelmente deriva de Fafnir, filho do Rei dos Anões, Hreiomarr. Consumido pela ambição, ele e o irmão Regin acabam por assassinar o pai, porém Fafnir toma para si todo o ouro, transformando-se em um monstruoso dragão para protege-lo, dando inicio a maldição dos nibelungos gerando um circulo de ganância e morte.

Nidhögg significa "devorador de cadáveres", é um grandioso dragão que aparece na mitologia nórdica que se alimenta das almas dos mortos e da raízes da Yggdrasil no submundo.

Características

Aparência

Fafner definitivamente não é um homem bonito, e sua aparência excêntrica combina perfeitamente com sua personalidade perversa. Ele possui pele clara, pupilas pequenas amarronzadas, um corpo muito alto e esguio, e cabelos grisalhos - todos esses traços combinados enfatizam a maldade do personagem.

Personalidade

Demonstra uma personalidade cruel e sádica, não se importando de utilizar humanos para seus experimentos, incluindo seus subordinados, visto que ele ameaçou alguns soldados rasos que estavam sob seu comando. No entanto, Fafner, assim como os outros Guerreiros Deuses, acredita fielmente na "justiça" de Andreas, por isso se empenha tanto em cumprir suas missões com êxito, apesar de querer ajudar em pesquisas só por isso aumentar seu poder (o que pode evidenciar que ele sabia que Andreas era maligno e que só ele sabia de tal pesquisas).

História

Fafner é visto pela primeira vez caminhando junto a um pequeno grupo de soldados, durante uma noite de nevasca, em um bosque de Asgard, sendo observado por Mu de Áries. Mais tarde, Fafner realizava experiências utilizando moradores de um vilarejo. Seu nível de sadismo perturba seus subordinados não escapando aos ouvidos do Guerreiro Deus. Fafner diz que os puniria assim que lidasse com o recém-chegado. Ao ver o Santo de Áries, Fafner imagina que ele dará um ótimo experimento. Despachando seus soldados, os mesmos são rapidamente postos fora de combate pelo Ariano.

Fafner prestes a torturar Mu.

Fafner adverte Mu de que em Asgard os Guerreiros Deuses tinham vantagem. Lançando algo parecido com uma corrente, o ataque é forte o bastante para destruir a Muralha de Cristal de Mu. Vencido, Áries é levado e aprisionado a objetos que lembram raízes de árvores. Com expressão de prazer doentio, Fafner diz que a vida de Mu serviria aos propósitos de Andreas. Com um gesto de mãos, uma esfera vermelha suspensa sobre diamantes começa a brilhar intensamente, o que por sua vez reflete no corpo de Mu na forma de raios esverdeados. Observando a resistência do Santo de Atena, Fafner comenta que Yggdrasil estava se energizando extraordinariamente. Mu tem uma rápida visão da árvore, aparentemente vindo a desmaiar. O Guerreiro Deus agradece pela diversão que teve, antes de ser surpreendido por Mu, que, não só ainda vivia, como descobrira boa parte dos planos envolvendo Yggdrasil. Libertando-se das raízes da árvore, Mu usa a Extinção Estelar, acertando em cheio Fafner. Mesmo golpeado, Fafner não aparenta ter sofrido com o ataque. É quando surgem Aioria e Lyfia, sendo essa a deixa para o Guerreiro-Deus sair de cena.

Andreas e seus sete Guerreiros-Deuses.

Após isso, Fafner retorna ao Palácio Valhalla, reunindo-se aos demais Guerreiros Deuses. Posteriormente, sequestra Helena e a aprisiona em um cristal, criando com sua energia vital uma gema. Triunfante de haver conseguido os resultados esperados por Andreas, pétalas vermelhas de rosas preenchem o espaço. É quando Fafner depara-se com o Cavaleiro de Ouro tido como o mais belo dos 88 combatentes de Atena: Afrodite de Peixes.

Fafner Vs Afrodite

Pronto para a luta, Fafner sente o corpo entorpecido, ao que Afrodite responde que seus cinco sentidos estavam sendo retirados. Usando as Rosas Diabólicas Reais, o Pisciano manda o Guerreiro Deus contra a parede, perfurando seu corpo com várias rosas. Afrodite revela saber sobre Yggdrasil, bem como o fato dela estar sugando lentamente o cosmo de todos. Fafner se recusa a dar qualquer informação, o que Afrodite diz não ser necessário. Encostando a testa na de Fafner, Afrodite extrai a informação, tendo aparentemente descoberto tudo o que precisava. Intencionando dar fim em Fafner, a luta é interrompida com a súbita aparição de Andreas.

Fafner Vs Mu.

Retornando ao Palácio Valhalla, Fafner assiste a luta dos Cavaleiros de Ouro no Inverno de Fimbul bem como a posterior derrubada da barreira. Com a aproximação da batalha contra os Santos de Ouro, Fafner, e demais Guerreiros-Deuses, recebem de Andreas novas Safiras de Odin, capazes de abastecê-los com a energia de Yggdrasil. Pouco depois, Fafner volta a cruzar o caminho do carneiro dourado, Mu, na Câmara da Sabedoria Svartalfheim. Sua confiança oscila quando Mu usa a telecinese no Guerreiro-Deus, projetando-o contra a parede. Reerguendo-se, Fafner nem bem abrira a boca e novamente sofre com a telecinese de Mu.

Num ataque relâmpago, Fafner reverte a situação, atingindo e projetando o corpo de Mu ao chão. O ariano sente um cosmo tenebroso. Fafner não economiza palavras e diz que tal poder vinha das novas Safiras de Odin, capazes de multiplicar o poder de seus portadores dezenas de vezes. Indo além, o Guerreiro-Deus liga o fato aos humanos enclausurados, a quem chama de "espécimes". Enfurecido, Mu brande a Adaga Dourada, não tendo tempo de usá-la. Outro Cavaleiro de Ouro, Máscara da Morte, da constelação de Câncer, entra em cena. A presença de mais um oponente não preocupa Fafner, que numa aparente ansiedade em matar, pretende acabar com os dois.

Nem bem chegou, o Canceriano faz seu movimento: Ondas do Inferno. O ataque manda Fafner direto para o Yomotsu Hirasaka, onde reencontra com o cavaleiro de Câncer. Num rápido diálogo com Mu, Máscara da Morte diz ter contas a acertar com Fafner.

O Guerreiro-Deus ainda mantém a confiança, e indicando uma fileira de mortos, o Canceriano vê as silhuetas dos pequenos irmãos de Helena. Fafner revela que os mesmos ainda não morreram, pois tinham compatibilidade para uso. Entretanto, o guerreiro deus revela que caso morresse, as crianças também iriam.

A maldade refletida no rosto de Fafner.

A notícia tem o exato efeito pretendido por Fafner. Máscara da Morte hesita em atacá-lo. Aproveitando o dilema moral do Cavaleiro de Ouro, Fafner toma a vez no ataque. Pior, Fafner continua a aumentar seus poderes por meio da Safira, que por sua vez drenava a força vital dos mortos. Brandindo sua arma, Fafner ataca com sua implacável técnica das Rajadas de Dragonewt. Máscara da Morte é atirado ao chão, aparentemente não tendo forças para levantar. Fafner o provoca para mandá-lo de volta a terra se o mesmo ainda se preocupasse com a vida das crianças. Certo da vitória, Fafner não contava que a alma das crianças desse apoio moral ao Canceriano. O cosmo dourado queima como fogo. Máscara da Morte desperta seu traje divino. Perturbado com o cosmo adversário, Fafner volta a lembrá-lo que sua morte significaria a das próprias crianças. Máscara da Morte revela que não o mataria, com isso ditou a sentença final: Mortalhas do Inferno. Almas atormentadas envolvem o corpo de Fafner, destruindo sua Robe de Nidhögg.

Fafner sendo derrotado.

Quando se dá conta, um morto pisa-lhe o rosto. Fafner está soterrado, tendo apenas a cabeça, mãos e joelhos livres para fora do solo. Máscara da Morte condena-o a sofrer eternamente, sem direito a morrer, entre os Mundos dos Vivos e dos Mortos.

O fim de Fafner.

Técnicas especiais

Rajadas de Dragonewt.gif Rajadas de Dragonewt
(Dragonewt Bullet)
Técnica na qual Fafner, utilizando sua arma Ridil, dispara projeções de cosmos a alta velocidade. As mesmas imitam as presas do dragão Nidhögg, ocasionando feridas terríveis.

Curiosidades

  • Ele é fisicamente muito semelhante ao Espectro Flégias de Lycaon.
  • Sua personalidade e seu modo de enterrar humanos para pesquisas, tem certas semelhanças com o Guerreiro Deus da Guerra Santa passada, Alberich de Megrez, porque ambos têm uma personalidade malévola e guardam humanos em locais exóticos (Alberich em ametista e Fafner nas raízes de Yggdrasil). Ele assim como Alberich, diz que as vidas dos que estão presos nas raízes de Yggdrasil, estão ligadas a ele (e usa isso pra vencer o inimigo). Além disso, enfrentou dois cavaleiros de ouro que possuem relação a Shiryu, pessoa quem derrotou Alberich.
  • Também vale lembrar que Fafner foi o guerreiro deus que mais enfrentou cavaleiros de ouro diferentes. Três ao todo.
  • Fafner possui algumas similaridades para com o personagem Elder Toguro, de Yu Yu Hakusho: ambos possuem semelhanças físicas (especialmente nas feições faciais e nos longos cabelos acinzentados), são vilões de personalidade cruel que adoram torturar suas vítimas antes de matá-las, enfrentaram oponentes baseados em flores (Afrodite e Kurama Youko) e foram condenados ao sofrimento eterno sem direito à morte.

Galeria

Guerreiros Deuses de Asgard
Deus Odin
Representantes de Odin Gothi: Durval; Representantes Terrenos: • HildaAndreas (não-reconhecido) • Lifya (legítima)
Soldados Soldados Rasos
Guerreiros Deuses de Durval LokiMidgardRungUr
Guerreiros Deuses de Hilda Siegfried de DoubeHagen de MerakThor de PhecdaAlberich de MegrezFenrir de AliothShido de MizarBado de AlcorMime de Benetnasch
Guerreiros Deuses de Andreas Frodi de GullinburstiFafner de NidhöggHeracles de TanngrisnirSurtr de EikthyrnirSigmund de GraniBaldr de HræsvelgrUtgarda de Garm
Outros personagens FreyFreya (filme)Freya (anime)Lifya
Utensílios e objetos sacros Espada BalmungSafiras de OdinGod Robes
Advertisement