FANDOM


O Icor de Pontos cobre seu Sarcófago

O Ikhor de Pontos cobre seu sarcófago

O Ikhor (霊 血, Ikōru) é o sangue azul que flui nas veias dos Deuses, a fonte de sua imortalidade e também considerado como a fonte de seu poder. Este conceito é usado principalmente em spi noffs , Saint Seiya: Episode.G e Saint Seiya Episódio G - Assassino embora uma pequena menção a ele no Saint Seiya: The Lost Canvas, é Ikhor está presente em todas as gerações Divino como primordial, Titãs e Olímpicos. É uma cor azul e está nos verdadeiros corpos dos deuses.

Habilidades

Os poderes de regeneração desse sangue são enormes, o que permite que os deuses se curem rapidamente dos ferimentos sofridos, e um mortal que o bebe pode ser curado de qualquer dano ou doença. Entre suas muitas qualidades, você pode nomear mais exemplos como:

  • O Ikhor de Pontos foi capaz reviver os guardas de pedra, o deus Apophis e estátuas de Anubis que foram encharcado, enquanto dava os guardas a capacidade de regenerar-se indefinidamente e autorizado a regressar ao este mundo para diferentes seres, como o Rei Minos, um Tiger Fang de Sabres, o herói troiano Héctor, várias múmias
  • No Lost Canvas Ikhor de Zeus é usado por Dédalo para dar vida a Cor Tauri , um robô com uma missão para proteger a Europa e todos sobre Creta no a pedido do rei dos Jogos Olímpicos . O Ikhor dotou-o de vida, imortalidade, grande poder e consciência.

Aparições

Ikhor

O sangue de Atena.

O conceito de ikhor foi apresentado na Saga de Hades, onde o renascido Shion de Áries jogou gotas do sangue de Atena em sua estátua para revivê-la como a armadura da deusa. Ele também revive as armaduras de bronze de pégaso, andrômeda, cisne e dragão, possibilitando a elas assumirem a forma de armaduras divinas quando seus cavaleiros queimassem ao máximo seus cosmos. Nos Campos Elíseos, a Armadura de Fênix também recebeu este privilégio, após tocar o sangue de Atena que escorria da urna que a prendia.

Em Saint Seiya: Episode.G, os titãs trazem a característica de possuírem ikhor em suas veias. Nesta série é revelado que os deuses podem sofrer os males da perda de sangue, perdendo a consciência ou mesmo entrando em coma, e que transfusões de ikhor são possíveis.

Em Saint Seiya: The Lost Canvas, uma nova característica de ikhor é apresentada, a capacidade de aumentar o poder de mortais que possam sobreviver a seu veneno. Após sua luta com Alone, Dohko de Libra encontra-se em estado de coma, sendo salvo por Defteros de Gêmeos, que o leva à Ilha Kanon para recuperar-se de seus ferimentos e injeta uma quantidade do sangue de Atena em seu corpo, o que o faz "renascer". O cavaleiro sofre enquanto seu corpo adapta-se ao sangue divino, mas sobrevive e desperta a Armadura de Atena sangrando sobre ela.

A segunda demonstração da ação de ikhor no corpo de mortais foi de Radamanthys de Wyvern, que, após empatar com Kardia de Escorpião no Santuário Submarino,voltou ferido gravemente então recebeu o sangue de Hades do corpo de Alone. Radamanthys sofreu muito mais do que Dohko para adaptar-se ao sangue divino, o que pode ser explicado pelo fato de que Hades é um dos irmãos de Zeus, ou apenas por seu ódio dos mortais. Após o corpo de Radamanthys adaptar-se ao ikhor, ele se tornou quase imortal, sendo capaz de sobreviver aos golpes mais poderosos de Regulus de Leão, sendo apenas derrotado após o cavaleiro se sacrificar, assumindo uma forma etérea, na qual foi capaz de "arrancar" a imortalidade do corpo do espectro com sua Cápsula do Poder.

O fato de Tenma de Pégaso ser um semideus talvez lhe conceda ikhor, o que explicaria o fato de ele poder despertar a armadura divina sem precisar do sangue de Atena.

Mitologia

Na mitologia grega, Ikhor (no grego antigo ἰχώρ ikhốr) era o mineral presente no sangue dos deuses, ou o próprio sangue. Essa substância mítica, da qual às vezes se dizia que também estava presente na ambrosia ou no néctar que os deuses comiam em seus banquetes, era o que os tornava imortais. Aparentemente dourado, quando um deus estava ferido e sangrando, o icor era venenoso para os mortais, matando imediatamente todos os que entravam em contato com o sangue de um imortal.

Homero descreve na Ilíada (v.339-342) da seguinte maneira o momento em que Afrodite foi ferida por Diomedes:O sangue divino fluiu, ou melhor,o ikhor; é isso que os deuses abençoados têm eles não comem pão nem bebem vinho preto,e por isso eles não têm sangue e são chamados imortais.

  • O sangue divino fluiu, ou melhor,o Ikhor; é isso que os deuses abençoados têm eles não comem pão nem bebem vinho preto,e por isso eles não têm sangue e são chamados de imortais.

Curiosidade

Icor de Athena

O Ikhor de Atena.

  • Um dos maiores tesouros do santuário é a garrafa contendo o icor da deusa Atena da era mitológica. Esta garrafa foi roubada por Galarian Steiner, que estava desesperado para salvar sua mãe seriamente doente.
  • No spin-off, Saint Seiya: The Lost Canvas - especificamente Gaiden de Hasgard - é mencionado que Zeus deu seu Ikhor para Daedalus para criar um homem de bronze artificial para proteger sua amada.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.