Artigo
Galeria

O Imperador dos Mares engolindo a face terrestre!

Enciclopédia Oficial.

Encarnação do Deus Poseidon, que já disputou com Atena o domínio da superfície terrestre. Poseidon sempre reencarnou no corpo dos descendentes da Família Solo, uma rica potência do comércio marítimo. Dessa vez, Poseidon foi despertado não por vontade própria, mas acidentalmente porque Kanon encontrou o seu tridente. Contudo, o golpe certeiro de Seiya acaba despertando definitivamente esse Deus. Ele planejava criar a utopia na Terra, depois de varrer da face terrestre os próprios seres humanos através de um dilúvio.

Origem do Nome

Forma inglesa do latim Julianus, relativo a Júlio, que pode vir do grego ioulos, ("de barba felpuda"), ou então alusivo a Júpiter, formado pelas raízes dyeus ("céu") e pater ("pai"), ou a juvenis ("jovem").

Características

Aparência

Julian é um adolescente de pele clara, cabelos loiros (azul no Anime) e olhos azuis claros. Possui um corpo atlético, no ápice da forma, apesar de não ser um lutador. Mesmo tendo pouca idade, Julian se vestia elegantemente com um terno branco. Ao se mudar para a Fortaleza Submarina, adotou uma túnica com uma estola de cor indica pendurada em seus ombros.

Personalidade

Como herdeiro da família Solo, Julian tinha afinidade com o mar, o qual dizia um dia iria governar. Quando pequeno mostrou bondade ao devolver um peixe encalhado ao mar. Como hospedeiro, demonstra uma postura controlada, nunca se entregando ira, sempre de postura e ar dignos, compatíveis com o imperador dos mares. Mesmo diante das ameaças que os Cavaleiros lhe ofereciam, Julian parecia divertir-se inferiorizando seus rivais, ao manifestar os poderes de Poseidon. Apesar de no todo mostrar um comportamento arrogante, Julian tinha empatia pelo próximo, pois no fim das batalhas, ao livrar-se da influência do deus dos sete mares, partiu mundo afora a fim de ajudar os sobreviventes das terríveis inundações que o próprio causou.

Histórico

Passado

Julian, quando criança, encontra Thetis.

Mangá - Somente na obra original o passado de Julian é conhecido, contado como lembrança por Thetis de Sereia. De férias com a família, o pequeno Julian corria alegremente pela orla da praia quando encontra um pequeno peixe debatendo-se, preso a uma linha de anzol. Gentilmente o menino apanha o peixe e o liberta, o devolvendo ao mar e fazendo votos que nunca mais fosse pego.[2]

Encontro com Saori

Em sua festa de aniversário, Julian, filho único de um magnata do comércio marítimo, comemora seus dezesseis anos, dando uma grande festa. Na ocasião ele conhece Saori Kido, sendo galanteador com a jovem. Os dois partem para o terraço, a fim de conversarem em particular. Julian fala um pouco sobre a Família Solo, que começou seus negócios no mediterrâneo, mas que atualmente já controlava os sete mares. Julian comenta a fala de seu pai, quem dominasse os oceanos e

Julian tenta conquistar Saori.

dominaria o mundo. Julian vai além, dizendo a Saori que gostaria da companhia da mesma quando dominasse o mar e a terra. Julian propõe casamento. Apesar de lisonjeada, Saor recusa o pedido de Julian e vai embora, deixando-o frustrado e surpreso ao ver que existia uma garota que não quis se casar com ele. Aquilo o estimula a prosseguir com seus planos, e dizendo para si mesmo que sempre teve tudo o que quis, Julian afirma que um dia, Saori será dele.

Julian encontra o Tridente de Poseidon.

De repente, Julian avista uma luz dourada brilhando na ponta do Cabo Sunion e se surpreende que alguém pudesse ter chegado até lá. Ao averiguar, Julian encontra um Tridente fincado na rocha. Instantes depois, Julian é abordado por uma bela jovem que se apresenta como Thetis de Sereia, que confirma que aquele Tridente pertencia a Julian. O mesmo não compreende como aquilo podia lhe pertencer. Thetis então explica a Julian sobre seu vínculo com Poseidon, afirmando que o deus dos mares encarnou em Julian passados mais de 200 anos.

Julian veste a Escama de Poseidon.

Após isso, Thetis pede que Julian a acompanhasse até a Fortaleza Submarina, onde lá os Marinas o esperavam. A jovem se agarra a Julian e se atira do Cabo Sunion. Sem poder respirar, Julian desmaia. Ao recobrar os sentidos, Julian acorda num lugar totalmente estranho, tendo o mar como céu, e o gigantesco Termplo de Poseidon a sua frente. Ali Julian encontra e veste a Escama de Poseidon, aceitando seu destino como regente dos mares, tendo seu exército de Marinas curvando-se e jurando obediência.

Batalha contra os Cavaleiros de Atena

Julian sequestra Saori.

Anime - Julian não procura enfrentar Atena logo de início, mas força Hilda de Polaris a fazê-lo em seu lugar, enfeitiçando-a por meio do Anel de Nibelungo, a fazendo lutar contra os Cavaleiros.[3] Com a derrota de todos os Guerreiros Deuses e a recuperação de Hilda, Julian rapta Saori, a levando para seus domínios.[4]

Julian e Saori se reencontram na Fortaleza Submarina.

Mangá - Julian veste sua Escama de Poseidon, ficando de frente para seu exército de Marinas que juram fidelidade a ele. Julian pergunta a Thetis em quanto tempo a superfície terrestre ficará totalmente coberta pelas águas, ao que ela responde que em 30 dias. Thetis, porém, diz que não deveriam cantar vitória antes da hora, pois havia Atena e seus Cavaleiros. Logo depois, Sorento de Sirene aparece trazendo com ele o Elmo da Armadura de Touro e Saori Kido. Após isso, Julian e Saori são deixados a sós para conversar. Afim de atrasar as inundações no mundo todo, Saori decide se sacrificar dentro Pilar Principal, recebendo toda a água da chuva que inundava a Terra.

Julian ataca Shaina.

Julian permanece recolhido em seu templo, indiferente ao curso da guerra e ao fato de cinco de seus sete Generais Marinas - Bian de Cavalo Marinho, Io de Scylla, Krishna de Chrysaor, Kasa de Lymnades e Isaak de Kraken - terem sido derrotados. O primeiro oponente que enfrenta é Shaina de Ofiúco. A Amazona de Prata tinha certeza de poder vencer, dado que Julian não havia passado por qualquer tipo de treinamento de combate, porém, o mesmo tinha maestria no controle do Cosmo de Poseidon. Sem dificuldade alguma, Julian projeta um pouco de sua cosmo-energia conseguindo partir a máscara de Shaina e paralisando seus movimentos. Julian manda que ela partisse dali, mas Shaina se recusa e ao fazer menção de atacar, Julian a oblitera, tirando dela toda força e sensação.

Julian repele o ataque do Meteoro de Pégaso.

O próximo a invadir o Templo de Poseidon é Seiya de Pégaso. Julian menciona que a vida de Atena havia se extinguido e ordena ao Cavaleiro que desse meia-volta e partisse. Seiya se recusa e começa a elevar seu Cosmo. Julian o adverte que qualquer ataque que tentasse não surtiria efeito dado a ele ser um deus. Seiya ataca com o Meteoro de Pégaso, mas tem todos os golpes devolvidos contra si. A Armadura de Pégaso assume a cor dourada, sinalando que sua cosmo-energia estava na máxima potência. Julian simplesmente destrói toda a armadura recém regenerada pelo sangue dos Cavaleiros de Ouro, o que deixa Seiya impressionado. Prestes a receber o golpe final, Seiya é salvo por Shiryu de Dragão e Hyoga de Cisne. Contudo Julian continua em vantagem, e projeta seu Cosmo contra a dupla, destruindo completamente suas armaduras e deixando-os inconscientes.

Julian é atingido pela Flecha de Sagitário.

Com a situação caminhando para a vitória de Julian, a Armadura de Sagitário aparece e adere ao corpo de Seiya. O Cavaleiro de Pégaso dispara a Flecha de Sagitário em Julian, mas ela retorna e atinge seu próprio peito. Seiya a arranca e atira novamente. Quando vai ser atingido novamente, Shaina coloca seu corpo na frente e serve de escudo para Seiya, recebendo a flecha nas costas. Seiya atira a flecha novamente e quando ela retorna, Shiryu serve de escudo. Hyoga e Shun de Andrômeda se juntam ao grupo também dando cobertura.

Os Cavaleiros de Bronze vestem Armaduras de Ouro para combater Posiedon.

Os Cavaleiros depositam seus Cosmos na flecha, que é atirada pela quarta e última vez. Julian não consegue controlar a flecha e acaba sendo atingido em seu elmo. Atordoado, Julian fica imóvel, o que permite aos Cavaleiros seguirem em direção ao Pilar Principal. O impacto do golpe desperta Poseidon que parte para o combate final contra os Cavaleiros. Shiryu e Hyoga vestem as armaduras de libra e aquário respectivamente, unindo forças com Seiya para lutar. Seiya consegue realizar um milagre e se projeta dentro do Pilar Principal, conseguindo resgatar Saori.

Julian condena a atitude de Seiya.

Com a destruição do Pilar Principal, Julain vê Seiya saindo dos destroços carregando Saori em seus braços. Descontrolado, Julian ameaça Seiya, enquanto o Cosmo de Poseidon amplifica-se continuamente, a ponto de fazer Seiya crer que poderia englobar todo o universo. Apontando a ponta do Tridente na direção do Cavaleiro de Pégaso, subitamente o Cosmo opressor desaparece.

Saori está de pé, protegendo Seiya, enquanto mostra a Julian a Ânfora de Atena, objeto capaz de selar a alma de Poseidon. Ela ordena que o deus voltasse a seu sono, algo que Poseidon opõem-se, dizendo que jamais obedeceria uma criança tola. De posse de seu Tridente, o arremessa para perfurar Saori. É Seiya, no entanto, que é atingido ao se jogar na frente para proteger Saori. Seiya comenta que a armadura sagrada que pertenceu Aiolos cumpriu sua função de proteger Atena. O Cavaleiro de Pégaso arranca o Tridente de seu corpo, vindo a desmaiar em seguida.

A alma de Poseidon é separada de Julian.

Poseidon, por meio de Julian, comenta que ele e Atena foram condenados a serem eternos rivais desde a época da mitologia, e que aquele era o momento de encerrar todo o longo histórico de conflitos. Julian dispara rajadas de Cosmos que machucam Saori, enquanto o mesmo ri e ironiza o fato de Atena, deusa da guerra justa, odiar usar armas, como tal não dispondo de recursos para combatê-lo. Saori lembra que ela possuía os Cavaleiros a seu lado. Finalmente. a união dos Cosmos de todos os Cavaleiros, bem como da própria Atena, sobrepujam o de Poseidon, arrancando a alma do deus dos mares do corpo de Julian, novamente sendo selado.

Julian é deixado desacordado na superfície.

Com a queda de Poseidon, a Fortaleza Submarina entra em colapso.Julian fica inconsciente. Thetis de Sereia se aproxima de seu corpo, murmurando o nome de Poseidon, mas se dando conta que aquele a sua frente era unicamente Julian Solo. Thetis é quem salva a vida de Julian, o levando para a superfície. Na última Julian é mostrado em aparente sono, os cabelos soprando a brisa do mar, enquanto a câmera foca no horizonte mostrando uma sereia de cabelos loiros saltar. O rapaz seria encontrado, contudo não se lembrava de nada que ocorreu nos últimos dias.

Mangá - Ao resgatar Saori do Pilar Principal, Poseidon condena a atitude de Seiya, considerando uma blasfêmia contra os planos de um deus de reorganizar o mundo, condenando o Cavaleiro de Pégaso a morte. Seiya, debilitado, sente o Cosmo do deus dos mares crescer continuamente, sendo, em suas palavras, capaz de englobar o universo. Ao direcionar sua lança contra Seiya, a cosmo-energia ameaçadora desaparece - obra de Atena que havia se erguido.

A alma de Poseidon deixa o corpo de Julian.

Saori pede que Poseidon admita sua derrota e voltasse a dormir, mostrando a Ânfora de Atena, que fora, ironicamente, posta dentro do Pilar Principal. Irritado, Poseidon ameaça de empalar Atena com seu tridente. Seiya, num esforço final, ameaça de lançar a Flecha de Sagitário, mas Saori diz para Seiya não atirar, dado que Poseidon apenas usava o corpo de Julian, e apenas Julian seria ferido. Poseidon atira seu tridente que perfura o corpo de Kanon de Gêmeos, outrora General Dragão Marinho.

Atena, segurando a ânfora, força a alma de Poseidon a abandonar o corpo de Julian. O deus dos mares faz uma última advertência, alertando Atena que sua devoção para com a humanidade incitaria a ira dos deuses do olimpo. Atena, porém, diz que se defender a humanidade for um erro, ela continuaria lutando mesmo que isso trouxesse a fúria dos deuses do olimpo. Com a destruição iminente do Templo de Poseidon, Seiya alerta para que deixem o lugar, mas Saori se recusa a partir sem antes salvar Julian. Tétis de Sereia aparece e se compromete a salvar Julian.

Julian devolve o peixe (Tétis) ao mar.

Dias depois, Julian é encontrado no mar Egeu, sem ter recordação dos acontecimentos das últimas semanas. Mais estranho que isso é o fato de Julian doar sua fortuna a causa beneficentes, especialmente as populações afetadas pelas enchentes. Encontra-se com Sorento de Sirene que se apresenta como um aluno de música. Os dois decidem viajar o mundo juntos e ajudar as pessoas. Após acertar a parceria com Sorento, Julian encontra um belo peixe e tem a impressão de já tê-lo encontrado antes. Sorento diz que o peixe deve ter sido jogado contra as rochas, pois já está morto. Com lágrimas nos olhos, Julian devolve o peixe ao mar, dizendo para o mesmo nunca mais se aproximar da praia.

Saga de Hades

A alma de Poseidon novamente incorpora em Julian.

Nos eventos finais da Saga de Hades, enquanto os Cavaleiros travavam as últimas batalhas, na terra um eclipse de proporções épicas obscurecia os céus. Julian tem novamente seu corpo possuído pela alma de Poseidon que comenta com Sorento que aquele eclipse era obra de Hades. Não desejando que o imperador do submundo vencesse, Poseidon envia cinco Armaduras de Ouro aos Campos Elísios, afim de ajudar Atena e seus Cavaleiros de Bronze. Feito isso, a alma de Poseidon abandona Julian, voltando a ser selada. Julian não guarda recordação dessa possessão, mas quando o eclipse acaba, ele esboça um sorriso satisfeito.

Habilidades de Luta

Julian provoca chuvas torrenciais por todo o mundo.

Como filho de um magnata do comércio marítimo, Julian Solo não possuí nenhuma habilidade de combate. Ao converter se em Hospedeiro da alma de Poseidon, Julian torna-se um oponente formidável. Sem utilizar técnicas, mas sim fazendo uso do cosmo-divino, Julian foi capaz de iniciar um cataclismo global, fazendo chover por todo o mundo, de forma incessante, ocasionando na destruição de várias das grandes cidades litorâneas, bem como matando ou desalojando milhares de pessoas.

Julian bloqueia o ataque de Shiryu.

A influência do Imperador dos Mares transformou Julian num exímio guerreiro, manifestando um Cosmo superior ao de qualquer Cavaleiro de Atena. Foi capaz de imobilizar Shaina de Ofiúco e extrair dela toda força, fazendo isso sentado em seu trono.[5][6]

Contra os Cavaleiros Bronze mostrou habilidades igualmente notáveis. Bloqueou e repeliu o ataque do Meteoro de Pégaso de Seiya, além de ter destruído as Armaduras de Pégaso, Dragão e Cisne, todas restauradas pelo sangue dos Cavaleiros de Ouro. [7][8] Foi capaz de parar a Flecha de Sagitário no ar, e fazê-la voltar contra quem a lançou. De posse de seu Tridente, Julian pode disparar rajadas maciças de Cosmo. Como último recurso, Julian disparava esferas de Cosmo compactas.

Curiosidades

Referências

  1. Perfil do personagem no Site Oficial
  2. Mangá Os Cavaleiros do Zodíaco - Volume 18
    Capítulo 67
  3. Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 74
  4. Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 99
  5. Mangá Os Cavaleiros do Zodíaco - Volume 17
    Capítulo 60
  6. Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 110
  7. Mangá Os Cavaleiros do Zodíaco - Volume 17
    Capítulo 61
  8. Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 111
Divindades
Deuses Primordiais
(Episódio G)
Urano (o Céu) • Pontos (o Mar) • Érebo (a Escuridão) • Eros (o Amor) • Gaia (a Terra)
Deuses Olímpicos ZeusPoseidonHadesAtenaApoloÁrtemisAresHermesAfrodite
Clã dos Titãs
(Episódio G)
CronosHyperionCéosIapetoCréosOceanoRéiaTêmisMnemôsineTéiaTétisFebePrometeu
Clã dos Gigas
(Episódio G)
LyaxPhloxAnemosBronteSpateZugilosHoplismaDrakonThêr
Deuses dos Sonhos
(The Lost Canvas)
OneirosMorfeuFântasoÍceloFobetor
Panteão Egípcio
(Episódio G)
AnubisApófis
Panteão Celta
(The Lost Canvas)
LugBalorEthlinn
Panteão Asteca
(The Lost Canvas)
TezcatlipocaQuetzalcóatl
Panteão Romano MarteSaturnoDianaVulcanoBacoRômuloCupidoPlutão
Panteão Nordico OdinLoki
Outras Divindades TártaroCaosCronosKairosHypnosPallasThanatosDeimosFobosTifãoAbelNikéÉrisDeusEuríbiaPerséfoneApsu
Semideuses e portadores de Ikhor KardiaTenmaDohkoRadamanthysEdenShura (G) • Sigurd
Pseudodeuses AriaCavaleiro de OfiúcoFeiyanSaga de GêmeosBalder
Marinas de Poseidon
Deus Poseidon
Marinas Soldados Rasos
Comandantes Thetis de Sereia
Generais Bian de Cavalo MarinhoIo de ScyllaKrishna de ChrysaorKasa de LymnadesIsaak de KrakenSorento de Sirene (Ω) • Unity de Dragão MarinhoKanon de Dragão Marinho
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.